semeie amor por onde for!

Um dia, em uma conversa com Deus, questionei sobre minhas feridas. Disse a Ele o quanto estava exausta de transbordar doçura e colher espinhos dos outros. De me entregar ao próximo de corpo e alma, saber lidar com os defeitos alheios, cuidar de alguém a ponto de se importar em medidas grandiosas, e o retorno, quando há, ser pela metade, de uma forma sem paciência e com profundo desamor. 
Decidida, no meio da conversa, afirmei que mudaria. Me tornaria fria, seca. Blindaria-me, e só seria capaz de ter o meu lado bom quem lutasse para isso. 
Prometi a mim mesma. Consegui? Não. Depois de 30 minutos apos a conversa lá estava eu, tratando alguém com todo o amor que existia em meu ser.
 E aí, ouvi uma voz que me disse a seguinte coisa: “Não é porque você vive em um mundo endurecido, que você tem que ter um coração de pedra. Eu te escolhi para ser extensão de amor em um mundo sem amor. Não adianta fugir. Eu te projetei assim. Entretanto, não duvide de uma coisa: você tem semeado amor e os frutos serão gerados. Espere. Confie. Tudo o que faz e tem que suportar valerá a pena.”
créditos: Naihana Teixeira.

De repente acordei...

E de repente acordei em uma manhã de verão, como se eu notasse alguma alteração, né? Estava até um pouco surpresa por não estar aquele calorzão com sensação de 40 graus como sempre era. Ainda fiquei deitada por uns cinco minutos, refletindo sobre o que eu tinha que fazer no dia. Então, respirei fundo, e levantei. Preparei meu café, e enquanto estava terminando de passar no coador, puxei uma cadeira da mesa na cozinha, peguei meu celular e fui conferir minhas redes sociais como de costume. Porém, reparei em algo diferente no meu whatsapp. Uma das minhas amigas havia me mandado mais de quinze mensagens seguidas. Meu coração já estava a milhão, já prevendo que tinha acontecido algo grave. Todas as mensagens diziam : - "amiga, preciso falar com você!" Absolutamente, todas! Não pensei duas vezes e antes de mandar mensagem, liguei. Perguntei o que tinha acontecido, e ela calmamente me falou: - "você esqueceu que dia é hoje, querida?" Ironicamente. Foi aí que me toquei. Era meu aniversário, eu estava completando meus tão sonhados 18 anos.
 Mas, como já estava acostumada com tudo dando errado e três aniversários fracassados, não demonstrei nenhum tipo de felicidade, apenas dei uma risada "sem graça" e falei : "bah! 18 anos! Grande merda, não muda nada, literalmente." Quando o som do telefone estrala com o grito da minha amiga: "ei! Dá pra você parar de se lamentar e dar uma passada na rodoviária de Avan... Ava..
 Ah! Sua cidade esquisita? Estamos morrendo de sede."
 Entrei em choque por alguns segundos, e quase sem condições de falar perguntei : " é o que? Estamos? Como assim? Me explica isso direito!" Minha amiga só desligou o telefone, e mandou um sms falando para fazer o que ela estava mandando. Me arrumei e fui. Cheguei na rodoviária e quem estava lá? Minha amiga e meu melhor amigo que eu tinha uma quedinha, hahaha. Sem pensar duas vezes, soltei um grito. ":- não acredito! Eu vou matar vocês!" Saí correndo em direção a eles, abracei os dois juntos e fomos para minha casa. Eles haviam vindo passar uns dias comigo, e como eu não gosto da cidade onde vivo, iriam pagar minha volta para São Paulo, onde eu achava tudo maravilhoso, inclusive o frio.
Nem levei muito em conta minha volta para minha antiga cidade. Só queria aproveitar aquele momento junto aos meus amigos
No caminho para casa, resolvi passar no mercado e comprar um bolo. Decidimos comemorar em um lugar diferente, então sugeri o "centro de lazer", um dos pontos turísticos da minha cidade. Ao chegar lá, pegamos uma caixa de papelão que encontramos perdida, desmontamos e colocamos embaixo de uma árvore no chão para sentar e comer. Passamos a tarde toda conversando e contando todos os momentos vivenciados juntos, enquanto nos deliciávamos com o bolo.
Confesso que eu adoraria contar o resto dessa história pra vocês, se tudo não tivesse passado de um sonho que tive essa madrugada.
história fictícia de minha autoria.

Minha vida não faz sentido - Felipe Neto

Olá, pessoas! Já começo o post falando sobre como me surpreendi comigo mesma em relação ao Felipe Neto.
Eu de vez e nunca via alguns vídeos dele na época que tinha um canal chamado "não faz sentido" (2010) e pensava comigo mesmo, "que cara escroto!" Não gostava e até hoje tenho uma certa implicância por ele esnobar os evangélicos, mas não deixo de lhe acompanhar por causa disso.
 Faz mais o menos um mês que vi a peça dele na NETFLIX e adorei. Ele superou todas as expectativas que eu tinha e por isso resolvi indicar para vocês.
 Felipe relata vários momentos difíceis na vida dele sem perder o humor, e assim como eu, acredito que muita gente se identificou em certas frases da peça como : "não importa de onde você veio, o que importa é o que você faz com sua existência. Você pode ser pobre, fodido e favelado. Você pode ser filho do Eike Batista... Se você não atropelar e não matar os outros já é um bom começo"
Acho que foi difícil as pessoas que estavam por lá não terem saído nem sequer com um pouco de motivação por parte dele, pois ele ensinou a persistir por nossos sonhos, e não se entregar pela frase"deixa a vida me levar."
 Porque o que mais acostuma acontecer é levarmos um "tapa na cara" dela e cairmos em um buraco fundo. Quem tiver interesse assistam e venham me contar o que achou. Beijos!